11/03/12

PAIS DE JOELHOS, FILHOS DE PÉ

 Campanha “Pais de Joelhos, Filhos de Pé” na Igreja Sal da Terra Sul. “Pai de Joelhos, Filhos de Pé” é um título que revela uma verdade. Não temos dúvida que, mais do que as mãos levantadas expressando louvor, do que a boca que canta, é o joelho que chama mais a atenção de Deus. Deus está de olho em nossos joelhos! Joelhos no chão nos levantam para a intimidade com Deus. Uma igreja de joelho nunca perde “o primeiro amor”.Nela, “muitas maravilhas e sinais acontecem” – Atos 2:43. Uma família de joelhos pode passar por tribulações mas, nunca será destruída. Talvez, os pais de joelhos no chão, não vão ver transformações em sua casa. Mas o Senhor vai continuar agindo. Não sei qual foi o foco de quem ministrou a semana passada. Espero que o Espírito Santo de Deus não nos deixe confundidos. Além do mais, o Espírito Santo tem sempre novidades. Basta que não endureçamos nosso coração. Que Ele seja bem-vindo! Aqui estão pais e mães cristãos. Quero dizer que ser pai e ser mãe é um chamado de Deus. É um ministério. De agora para frente, sempre que eu falar “pai” ou“paternidade”, estarei falando também “mãe” e “maternidade”. O ministério da paternidade já foi rascunhado em Gênesis 1:27 e 28. Nesses versículos lemos: “Assim Deus criou os seres humanos; ele os criou e os abençoou, dizendo: Tenham muitos e muitos filhos, espalhem-se por toda a terra e a dominem”. O ministério da paternidade começa com tendo filhos ou adotando filhos. Eu poderia incluir nessa os chamados filhos espirituais. A Bíblia vai, no correr dos tempos, capacitando o pai e a mãe para o exercício deste ministério. Mas, eu já poderia dizer que as responsabilidades básicas deste pastoreio consiste em AMAR os filhos de todo o coração e com toda a vida; ENSINAR os filhos nos princípios da Palavra de Deus e DISCIPLINÁ-LOS para que não caiam nas tentações do sistema corrompido do mundo. São muitas as passagens da Palavra de Deus que têm como tema a relação pais e filhos. Provérbios é o livro que mais fala dessa relação. O texto de fundo para nossa reflexão, hoje, é o que Paulo, de forma curta, disse para as famílias cristãs da cidade de Éfeso, capítulo 6, versos 1-4: “Filhos, obedeçam a seus pais pois isso é justo. [isso é certo, é dever cristão] Honra teu pai e tua mãe[Respeite-os] – este é o primeiro mandamento com promessa – para que tudo corra bem e tenhas longa vida sobre a terra”. Pais, não irritem seus filhos; antes, criem-nos segundo a instrução e o conselho do Senhor [com a disciplina e os ensinamentos cristãos]. Esta exortação de Paulo não é a única. Muitas outras passagens falam igual ou semelhante à de Paulo. Por exemplo: Êxodo 20:12, Deuteronômio 5:16; 11:19; Levítico 19:3; Provérbios 6:20-23; 13:24; 19:18; 20:13; 22:6; 23:22; 29:15; Mateus 15:4; Colossenses 3:20-21 e Hebreus 12:7-11. E em muitos outros lugares Deus mostra a PREOCUPAÇÃO COM FILHOS. Talvez, muitos não dêem conta de uma coisa: Deus tem necessidade de filhos. Sem filhos, ele seria um Pai desocupado! Mas, Jesus diz, no Evangelho de João, que o Pai dele “continua trabalhando até hoje...” – João 5:17. E todo o seu trabalho é para seus filhos.. Não é por nada que ele tem também o nome de PAI. Esta preocupação de Deus me parece confirmada com o tanto de vezes que a palavra“pai” e a palavra “filho” aparecem na Bíblia. “Pai”, aparece em 464 versículos e a palavra “filho” em 2.328 versículos. Há uma mensagem nessas informações: Assim como Deus se ocupa vinte e quatro horas com cada um de nós, seus filhos, o pai, depois de Deus e da esposa, não pode, nunca, esquecer que têm filhos. Não há desculpas para este comportamento. O pai tem uma HERANÇA a ser guardada. O não cuidado com esta herança – filhos - é pecado. É crime. As próprias leis do Estado criminalizam o desleixo dos pais com relação aos filhos. Voltando ao nosso texto. Os versos de 1 a 4 de Efésios 6 atribuem aos filhos duas responsabilidades: OBEDECER E HONRAR. Deus sempre deu um valor forte à obediência. No conceito de Deus desobediência é rebeldia e rebeldia é feitiçaria. Está escrito em 1 Samuel 15:23:“... a rebelião é como o pecado de feitiçaria, e a arrogância como o mal da idolatria”. Está na cara que desobediência é atitude própria de arrogantes. Desobediência é nome de um veneno que destrói uma casa, destrói uma igreja e quebra, violentamente, os laços entre o homem [filho de Deus] e Deus. Deus pode ser manso frente a alguns pecados... Mas, é duro e intransigente com o pecado da desobediência. No mundo natural e espiritual, desobediência é rejeição ao amor. Quem ama obedece porque ama. E somente pais obedientes ao Senhor têm autoridade para cobrar obediência dos filhos! Mas, o foco desta noite não são os filhos. Eles podem ser assunto em um outro tempo, um outro lugar. O foco de Deus, agora, são vocês, pais. Hoje é o dia especial que o Senhor fez para falar com vocês e para vocês. Se Paulo fala aos efésios que duas são as responsabilidades dos filhos, também diz que são três as responsabilidades dos pais: 1. NÃO IRRITAR OS FILHOS - não incitar, não provocar, respeitar a individualidade. 2. CRIAR OS FILHOS – desenvolver seu crescimento em sabedoria [desenvolvimento da mente], em estatura [cuidado com a saúde física, psicológica e social] e em graça [desenvolvimento espiritual]. Tudo temperado com gentileza, afabilidade, alegria e segurança. E, por último: 3. EXERCER A DISCIPLINA – treinamento dos comportamentos [caráter] através de recomendações e admoestações. O que será que Deus quer revelar com esta palavra, nesta noite, a nós pais? Pelo que eu penso, ele quer nos mostrar qual a imagem que ele quer construir no coração do pai para a família que ele – Deus - criou. São imagens lindas que ele quer ver concretizadas. Primeira imagem – Deus quer o pai como SUA IMAGEM E SEMELHANÇA no exercício da paternidade. Jesus, uma vez disse: “Quem me vê, vê o Pai”. A maior alegria e prazer de um filho ou de uma filha é poder dizer: “Quem me conhece conhece meu pai". “Eu sou meu pai escrito”. “Eu, falo, eu penso, eu faço, eu sonho como meu pai”. É a marca do pai gravada na mente e na alma do filho. O cuidado que se precisa ter é que o filho, mesmo com essas semelhanças, não perca a sua identidade. Desgraçado é aquele pai que não deixa nenhuma marca de valor nos filhos! O filho é a carta escrita pelo pai não com tinta, mas com sua presença viva, física e espiritualmente, não em tábuas de pedra, mas na tábua de um coração gente sensível. Mas, esta carta pode ser uma carta romântica escrita com a tinta vermelha do amor ou, uma carta trágica escrita com a tinta roxa do ódio. Segunda imagem - Deus quer o pai como PASTOR DE SUA CASA. Todo filho precisa de um PASTOR em sua vida, segundo o salmo 23. Isto é, precisa de um pai que faz de tudo para NADA FALTAR a seus filhos. Um PAI PRESENTE, sem ser grudado, sem superproteções, em todo o tempo de vida dos filhos. Um pai que coloca nos filhos A ESPERANÇA, A CORAGEM e nunca O MEDO das contradições da vida. Um pai que tira, de todos os momentos da vida, UMA LIÇÃO para seus filhos. Um pai que é capaz de ABRAÇAR E DE BEIJAR seus filhos, quando os momentos parecem escuros, perturbadores, desanimadores. Um pai que tem a MESA SEMPRE MONTADA, em casa, onde haja alegria, unção, comunicação. Onde os relacionamentos familiares são fortalecidos. Uma mesa contra qualquer tipo de inimigos da família. Um pai, cuja BONDADE E FIDELIDADE serão lembradas em todos os caminhos que os filhos fizerem. Leiam o salmo 23 com espírito de paternidade. A síntese é esta: pai que é pai, segundo o coração de Deus, depois do Reino de Deus, têm A FAMÍLIA COMO SUA PRIORIDADE NÚMERO UM. Terceira imagem – Deus quer um pai SACERDOTE E ADORADOR, à semelhança do Jó descrito em seu livro, no capítulo 1. Um modelo de HOMEM-PAI INTEGRO E JUSTO, TEMENTE A DEUS E SEM MALDADE. Um pai só pode ser um representante pessoal de Deus e um pastor de seus filhos se, também e, antes de tudo, for um SACERDOTE ADORADOR. Um fiel e íntimo de Deus, orando com a esposa, meditando todos os dias a Palavra e fazendo dela a direção de sua vida e, assim, guardar os filhos do pecado. A Palavra nos relata que tal era a preocupação de Jó com a vida espiritual de seus filhos que “de madrugada ele oferecia um sacrifício em favor de cada um deles, pois pensava: “Talvez meus filhos tenham , lá no íntimo, pecado e amaldiçoado a Deus”. Esta era uma prática de todos os dias de pai sacerdote adorador! Deus quer um pai semelhante a Jó. Um pai sempre em espírito de oração e sacrifício. Um pai comprometido com a vida de sua igreja. Um pai atento para que os deuses das futilidades não pervertam as almas de seus filhos. Em resumo: DEUS QUER PAIS DE JOELHOS PARA QUE OS FILHOS NÃO CAIAM E PERMANEÇAM CAÍDOS! Quarta imagem – Deus quer um pai QUENTE DE AMOR. Há um crime comum na relação pais e filhos. Este crime tem um nome: AUSÊNCIA. É um dos crimes mais abomináveis perante Deus. Ausência de pai pode formar bandidos, se a graça de Deus não alcançar seus filhos. Ausência de pai é morte dos filhos. Saibam que amar implica PRESENÇA INTEIRA COM TUDO O QUE O PAI É: CORPO, ALMA E ESPÍRITO. Uma das doenças terríveis que, por vezes, tomam conta da alma de crianças e jovens é a falta de AUTO-ESTIMA. E a baixa auto-estima, no caso da relação pai e filhos, é caracterizada pela CARÊNCIA de abraços, de beijos, de palavras com afetos, palavras de elogios. De um amor que enche a vida. É uma atitude de otário a do pai que, em nome de sua macheza, não expressa afetos. É terrivelmente triste, doído, ouvir de filhos este depoimento: “Meu pai nunca me beijou, nunca me abraçou, nunca me elogiou!”. “Meu pai nunca quis saber quem eu era”.Filho feliz é aquele que é cheio do AMOR PRESENCIAL do pai. A figura do pai, é a mais marcante na formação familiar. Assim quis Deus! Hoje, em muitas casas estão filhos rejeitados, abandonados! E, por não terem sido amados, nem aprendido a amar, eles procuram amor nas drogas e se tornam bandidos aterrorizantes para a mesma família, onde nasceu e viveu um tempo. E você, pai não se preocupa, enquanto as tragédias não acontecerem em sua casa.! É nas famílias que são formados os bandidos e os abençoados. Pelo amor do Deus de seus filhos, não espere chegar o tempo para chorar! O amor-presença é disposição ao sacrifício para o bem dos filhos. Não é somente sacrifícios de dinheiro. É sacrifício de interesses pessoais. É fazer uma aliança com Deus para criar os filhos para sua glória e louvor.. Quinta imagem - Deus quer um PAI INSTRUTOR-TRREINADOR. Instruir é ENSINAR, DOUTRINAR, EVANGELIZAR, CAPACITAR, COMUNICAR. AMAR é o ponto de partida para a formação da vida dos filhos e INSTRUIR é o exercício para esta formação. Instrução tem a ver com pedagogia que, no grego, significa conduzir com as mãos. O pai, antes de qualquer professor, é o primeiro pedagogo de seus filhos. O pai, na educação, está sempre de mãos dadas com os filhos, todos os dias, levando-os pelos caminhos do aperfeiçoamento do caráter e das conquistas e alegrias da vida saudável. Na educação, o pai, em alguns momentos, necessita saber ser criança com seus filhos! O conceito de instrução inclui: DESENVOLVER A SENSIBILIDADE espiritual, a DOCILIDADE e a BOA DISPOSIÇÃO diante de Deus. ENSINAR A PARTICIPAÇÃO dos filhos na vida da casa. ESTIMULAR A DEDICAÇÃO aos estudos, a formação de amizades, o desenvolvimento dos relacionamentos cooperativos na família, na escola, na comunidade, na igreja. PREPARAR PARA LIDAR com dinheiro e com o tempo. ACOMPANHAR O DESENVOLVIMENTO da sexualidade dos filhos. ESTAR ATENTO ao comportamento dos filhos nas redes sociais - um perigo para o casal, para os filhos. CONHECER a escola e as amizades dos filhos. AJUDAR NA DESCOBERTA dos objetivos da vida e da vocação. ENSINAR A TER LIMITES. Isto é, saber discernir o que é permitido e o que não é. FAZER OS FILHOS ENTENDEREM que quem manda na casa é o pai. É impressionante como os filhos – desde os primeiros anos - estão assumindo um poder sobre os pais. É o filho quem manda! Crianças de três a quatro anos já estão mandando nos pais! É lamentável! Que pais e filhos saibam que limites não são castigo é PROTEÇÃO e SEGURANÇA. Sexta imagem – Deus quer um PAI DISCIPLINADOR [não um xerife] – que seja obedecido. Obediência não é opcional. É ordem, em qualquer circunstância. DISCIPLINA É PARTE DA EDUCAÇÃO. Nos casos que exigem disciplina não pode haver condescendência nem desculpas de idade. Não é o tempo todo ficar achando graça das ‘pirraças” as crianças. Se necessário, use-se a “vara” mas, sem excessos, nem levados pelo calor da discussão, nem empurrados por emoções de descontrole da raiva – da “irca”. O uso da “vara” é lição de Deus. Se houver excesso, o pai não tenha medo de admitir o erro e pedir perdão. Excesso de “vara” é fraqueza de autoridade do pai. Toda disciplina tem uma medida. Caso contrário, ela não produz o efeito desejado. É claro que, ao casar-se, o filho assume a sua própria vida, a sua casa e deve ser respeitado. Não é mais problema do pai. É proibido ao pai intervir e interferir na vida dos filhos casados. Mas, o pai continua pronto para atender o chamado de socorro e de consulta dos filhos saídos de casa. Por ordenança de Deus, é o PAI RESPONSÁVEL PELA DISCIPLINA dos filhos. E ele só vai ter autoridade moral na disciplina dos filhos se ele for uma PESSOA PRESENTE em suas vidas. PAI AUSENTE NÃO TEM FORÇA PARA INSTRUIR E DISCIPLINAR. Mas, a mãe não pode e não deve “empurrar” para o marido toda e qualquer correção. Se a mãe tiver que aplicar a disciplina, os filhos devem saber que o pai concorda. Se em tudo deve haver acordo entre os pais, muito mais em se tratando de disciplina dos filhos. De outra forma, vamos ter na família filhos do PP - partido do pai e filhos do PM - partido da mãe. . Para terminar este último tópico, vamos recordar o que diz a Palavra. “ Quem não castiga o filho não o ama. Quem ama o filho castiga-o enquanto é tempo” .– Provérbios 13:24. “Corrija os seus filhos enquanto eles têm idade para aprender, mas não os mate de pancadas”– Provérbios 19:18. “É natural que as crianças façam tolices, mas a correção as ensinará a se comportarem” – Provérbios 22:15. Não deixe de corrigir a criança. Umas palmadas não a matarão. Para dizer a verdade, poderão até livrá-la da morte”[1] –Provérbios 23:13-14. “É bom corrigir e disciplinar a criança. Quando todas as suas vontades são feitas, ela acaba fazendo sua mãe passar vergonha” – Provérbios 29:15. “Corrija os seus filhos, e eles serão para você motivo de orgulho e não de vergonha” – Provérbios 29:17. Todas essas responsabilidades dadas por Deus, como sua missão e ministério, só serão possíveis aos pais que estão sempre de joelhos. Queridos pais, se vocês amam e querem formar seus filhos, segundo o coração de Deus, ajoelhem-se diante dele e eles – seus filhos – serão maravilhosos em sabedoria e graça!

Por: Pr Euler P. Campos
março de 2012

Nenhum comentário:

Postar um comentário